3 de janeiro de 2011

The maid we don't have anymore

Hoje, quando chegar a casa, ela vai estar exactamente na mesma: a cama vai estar por fazer, o biberão vai estar por lavar e a roupa por passar a ferro.
Desde Março de 2009 que me habituei a chegar a casa às segundas-feiras e ter tudo limpinho e arrumado. A Tia Céu dava conta do recado e eu ficava felicíssima, a sentir-me uma dondoca.
Mas a crise também chegou lá a casa e o primeiro corte foi esse: cortar o que é dispensável. Entre ter empregada de limpeza ou poder viajar uma vez por ano (no mínimo!), optámos pela segunda. Como costumo dizer: enquanto tiver que tomar esta decisão e não tiver que escolher, por exemplo, entre ter seguro de saúde ou comida... é menos mau.

Imagem retirada da internet, mas não sei precisar de onde...

------------------------------
Sim, eu ODEIO FAZER DIETA.

2 comentários:

Sweet68 disse...

E tens toda a razão. Eu também se tiver de começar a cortar, vai ser essa a primeira despesa a desaparecer. É a vida, vive-a sem te preocupares muito com o pó dos móveis e o cotão nos cantos. Beijo.

Jóh disse...

sim, melhor essa decisão que outras piores. vais ver que as coisas um dia vão ficar melhores...