20 de julho de 2010

Cirurgias estéticas

Ainda a respeito do último post, a conversa ontem fluiu na direcção das cirurgias estéticas, mais precisamente as que se fazem para manter uma silhueta estreita, e se os resultados finais compensam o caminho que se passa até lá.

Tal como disse ontem, eu não acredito que o resultado final dos concorrentes do Biggest Loser não tenha ali uma ou outra cirurgia estética e, tal como disse uma das amigas comentadoras deste blog, o peso que se perde no programa é demasiado rápido em relação ao tempo que se tem, daí a (quase) certeza de haver bisturi à mistura. Mas, mais uma vez, isto são suposições minhas. Não sei ao certo e, se alguém souber que me diga!

Há diversos reality shows cujo objectivo é a perda de peso, e quase todos implicaram cirurgia. Se eu acho que este não deveria implicar? Não, não acho. Não me parece que os concorrentes ficassem felizes ao ver-se com menos 50 kg e cheios de peles penduradas. E o prémio máximo nestes concursos, acredito, é a felicidade dos participantes. Felicidade essa que muitas vezes pode ser alcançada com um «arranjozinho» aqui e ali. Não sou, nem nunca fui (e tão-pouco serei) contra as operações plásticas. Aliás, até sou menina para levantar as mamocas daqui a uns anos, quando acabar de ter os filhos todos. Mais um filho, pronto.



-------------------------------
Sim, eu ODEIO FAZER DIETA.

5 comentários:

Alexandra disse...

Eu não tenho nada contra as cirúrgias, só mesmo a falta de dinheiro para fazer umas quantas é que a "gravidade" já fez das suas.
Um abraço,
Alexandra

Pintainha Gordinha disse...

Novamente, opinião pessoal:

Existe sempre um risco associado a toda e qualquer operação, por isso, o benefício deve superar o risco.

No que toca a operações plásticas, acredito que ninguém goste de ficar com peles penduradas após um emagrecimento brusco, mas... poderia ter sido evitado, se se tivesse feito um emagrecimento dentro das recomendadas 500g a 1kg por semana, mas, não se tendo feito isso, é claro que se tem de recorrer a uma cirurgia para remover o que está a mais (aliás, essas peles extra são usadas, por exemplo, no desenvolvimento de medicamentos e produtos cosméticos).

Mas certamente que sabes que existem muitas operações plásticas desnecessárias e até a revelar uma certa inconsciência dos próprios médicos que as fazem.

Por isso, na minha opinião, operações plásticas só se necessárias por questões de saúde: bem-estar físico (tem mesmo de ser) e bem-estar mental (uma pessoa tem de se sentir bem consigo mesma).

Apesar de ser da opinião de que, se uma pessoa se sente mal consigo mesma em algum aspecto que pode ser melhorado por cirurgia plástica, deve recorrer a ela, também acho que de nada serve fazer uma lipoaspiração para remover aquelas gordurinhas nas coxas, ancas e barriga, quando depois se continua a comer mal e a não praticar exercício físico. As operações plásticas ajudam, mas não fazem milagres.

Quanto à mamoplastia, não sou mãe, mas a gravidade não perdoa (e com os kg extra ainda pior)eheheh quem sabe um dia :P

Beijinhos,
Pintainha Gordinha

boneca de porcelana disse...

Sem dúvida que eles são alvo de algumas cirurgias estéticas, até devido às peles que ficam. Nesse caso acho bem e não contra qualquer tipo de cirurgia. Cada um tem que ter o bom senso do que está a fazer e os médicos também.

***

Maria disse...

Eu cá ando disciplinadinha no creme. Mas também já avisei o maridinho que se for preciso arranjar alguma coisinha, que o farei. Pela saúde e pela auto-estima.

butterfly disse...

também gosto d ver esse tippo de programas...
bjinho e obrigada pelo comentario!